Biografia

Laís Myrrha investiga os instrumentos e formas de conhecimento que constroem e mediam nossa experiência no e com o mundo que ocupamos, destacando o caráter arbitrário e os discursos de poder que as convenções e sistemas de representação nos dão a ver.  Fundamentalmente seus trabalhos estão distribuídos em quatro zonas que muitas vezes se intersecionam:  Atlas do impossível,  Zona de instabilidade, Estudos de casos e Crônicas.

 

A primeira  compreende uma série de trabalhos com mapas, instrumentos de medida, dicionários, almanaques e livros nos quais a artista interfere para criar comentários que possam tornar visíveis e assim pensáveis os modos e sistemas de representação, bem como seus parâmetros e marcos. A Zona de instabilidade é constituída de obras em que a permanência e o equilíbrio parecem falhos e/ou precários. Os Estudos de casos trabalhado mais de perto em questões envolvendo a arquitetura e o modernismo brasileiros, menos por questões relativas à arquitetura propriamente dita do que pela iconicidade das imagens produzidas a partir dela e seu uso como uma máquina projetiva de fantasmagorias do poder. Por fim as Crônicas, comentários visuais e textuais sobre acontecimentos observados no seu dia a dia, seja por meio dos deslocamentos diários pela cidade em que vive ou pelos quais passa, seja pelos noticiários.

 

Um elemento importante no processo criativo de Laís Myrrha e que perpassa todas as zonas mencionadas acima é a escolha e o uso preciso dos materiais, a capacidade que eles têm para produzir signos e funcionar como condensadores de narrativas.

 

Laís é Doutoranda desde 2015 e Mestre pela Escola de Belas-Artes da Universidade Federal de Minas Gerais em 2007. Desde 1998, participa de diversas exposições coletivas e individuais, destacando a sua participação na: 2019 - 13a Bienal de La Habana: La construcción de lo possible (Havana, Cuba); 2018 - 12a Bienal de Gwangju: Bordas Imaginadas (Gwangju, Coreia do Sul); 2017 - Intervenções Urbanas (Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro  - Rio de Janeiro, Brasil); Metrópole: Experiência Paulistana (Pinacoteca de São Paulo - São Paulo, Brasil); 2016 - 32º Bienal Internacional de São Paulo (São Paulo, Brasil); Brasil, Beleza?! (Museum Beelden aan Zee - Den Haag, Holanda); 2011 - 8ª Bienal do Mercosul (Porto Alegre, Brasil).

 

Suas exposições individuais recentes incluem:  2017 - Cálculo das diferenças (Galeria Athena – Rio de Janeiro, Brasil); Reparation of Damages (Broadway 1602 - Nova York, E.U.A.); Corpo de Prova (Sesc Bom Retiro - São Paulo, Brasil); 2016 - O instante interminável (Galeria Jaqueline Martins – São Paulo, Brasil); 2014 - Projeto Gameleira 1971 (Pivô – São Paulo, Brasil), entre outras.

 

Entre os prêmios destacam-se: Prêmio Honra ao mérito Arte e Patrimônio (2013 - Paço Imperial – Rio de Janeiro, Brasil) Bolsa Funarte de Estímulo à Produção em Artes Visuais, FUNARTE (2012 - Rio de Janeiro, Brasil) e Bolsa Pampulha do Museu de Arte da Pampulha (2003 - Belo Horizonte, Brasil). Seus trabalhos estão nas coleções dos museus: Blanton Museum of Art: The University of Texas (Austin, E.U.A.); Fundação de Serralves (Porto, Portugal); Museu de Arte do Rio (Rio de Janeiro, Brasil) e Pinacoteca de São Paulo (São Paulo, Brasil).

Obras
Exposições
CV

1974 . Belo Horizonte, Brasil
Vive e trabalha em São Paulo, Brasil.

 

Educação
2015

Doutoranda em artes visuais pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais

2007

Mestre em artes visuais pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais

2001

Bacharelado em Artes Plásticas pela Escola Guignard da Universidade do Estado de Minas Gerais

 

Exposições Individuais
2019

Diário dos Desmanches – Aarea.co [virtual] e SP-Arte – São Paulo, Brasil

2017

Cálculo das diferenças – Galeria Athena Contemporânea – Rio de Janeiro, Brasil
Reparation of Damages – Broadway 1602 – Nova York, E.U.A.
Corpo de Prova – Sesc Bom Retiro – São Paulo, Brasil
Desdito – Museu do Louvre Pau Brazyl – São Paulo, Brasil

2015

O instante interminável – Galeria Jaqueline Martins – São Paulo, Brasil

2014

Ensaio de Orquestra – O Coletor – São Paulo, Brasil
Entre-Tempos – Sesc Palladium – Belo Horizonte, Brasil
Projects on Ashburn, Other Coordenates – College Station – Texas, E.U.A.
Projeto Gameleira 1971 – Pivô – São Paulo, Brasil
Arquitetura Temporã – Galeria Manoel Macedo – Belo Horizonte, Brasil
Zona de Instabilidade – Caixa Cultural – Brasília, Brasil

2013

Zona de Instabilidade – Caixa Cultural – São Paulo, Brasil

2011

Temporada de Projetos Paço – Paço das Artes – São Paulo, Brasil

2009

Border Game – Galeria Millan – São Paulo, Brasil

2008

Projéteis – Funarte – Rio de Janeiro, Brasil
Atos Visuais – Funarte – Brasília, Brasil

2007

Redução ao absurdo – Novembro Galeria de Arte – Rio de Janeiro, Brasil

2005

Trajetórias 2005 – Fundação Joaquim Nabuco – Recife, Brasil
Quarto de Balé – Léo Bahia arte contemporânea – Belo Horizonte, Brasil

2004

1º Bolsa Pampulha – Museu de Arte da Pampulha – Belo Horizonte, Brasil

2003

Exposição – Galeria da CEMIG – Belo Horizonte, Brasil

 

Exposições Coletivas
2020

Até onde a vista alcança – Galeria Athena – Rio de Janeiro, Brasil
Narrativas em Processo: Livros de Artista na Coleção Itaú Cultural – Museu de Arte de Santa Catarina (MASC) – Florianópolis, Brasil
Casa Carioca – Museu de Arte do Rio – Rio de Janeiro, Brasil

2019

Exposição Leilão ABACT 2019 – Casa de Cultura do Parque – São Paulo, Brasil
Narrativas em Processo: Livros de Artista na Coleção Itaú Cultural – Palácio das Artes – Belo Horizonte, Brasil
Hiato – SIM Galeria – São Paulo, Brasil
13º Bienal de La Habana: La construcción de lo posible – Havana, Cuba
Nunca haverá uma porta. Está dentro. Obras da Coleção Teixeira de Freitas – Sala de Arte Sandanter – Madri, Espanha
A Parte Maldita: um esboço – SIM Galeria – São Paulo, Brasil

2018

12º Bienal de Gwangju: Bordas Imaginadas – Coreia do Sul
Com o ar pesado demais pra respirar – Galeria Athena – Rio de Janeiro, Brasil
Ação e Reação – Casa do Brasil – Madrid, Espanha
Estado(s) de Emergência – Oficial Cultural Oswald de Andrade – São Paulo, Brasil
Mesa de corte – A Mesa – Rio de Janeiro, Brasil

2017

Condemned To Be Modern – Los Angeles Municipal Art Gallery – Los Angeles, E.U.A.
Intervenções Urbanas – Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro – Rio de janeiro, Brasil
32º Bienal de São Paulo: Live Uncertainty – Fundação Serralves – Porto, Portugal
Molde: conversa em torna da escultura e do corpo feminino – Anita Schwartz Galeria de Arte – Rio de Janeiro, Brasil
Encontros no Espaço – Funarte – Belo Horizonte, Brasil
Travessia 5: Emergência – Galpão Bela Maré – Rio de Janeiro, Brasil
Metrópole: Experiência Paulistana – Estação Pinacoteca – São Paulo, Brasil
Avenida Paulista – Museu de Arte de São Paulo (MASP) – São Paulo, Brasil
Permissão para Falar – Galeria Athena Contemporânea – Rio de Janeiro, Brasil
Re-effecter Matter – Galleri Susanne Ottesen – Copenhague, Dinamarca

2016

Sempre um ponto de identidade, sempre distinção – Galeria Jaqueline Martins – São Paulo, Brasil
New Cities, Future Ruins – SMU Meadows School for the Arts – Dallas, U.S.A.
32º Bienal de São Paulo: Incerteza Viva – Pavilhão Ciccillo Matarazzo – São Paulo, Brasil
Brasil, Beleza?! – Museum Beelden aan Zee – Den Haag, Holanda
Quando o Tempo Aperta – Museu Histórico Nacional – Rio de Janeiro, Brasil
Quando o tempo aperta – Palácio das Artes – Belo Horizonte, Brasil
Empresa Colonial – Caixa Cultural – São Paulo, Brasil

2015

Emergency Measures – Power Station – Dallas, E.U.A.
Apodi 69 – Pivô – São Paulo, Brasil
Quarta-feira de cinzas – Parque Lage – Rio de Janeiro, Brasil
Voragem da história – Observatório – São Paulo, Brasil
Tudo que é sólido desmancha no ar – Galeria Jaqueline Martins – São Paulo, Brasil
Exposição dos artistas finalistas do prêmio Marcantônio Vilaça – Anexo do MAC-USP – São Paulo, Brasil
Procura-se – Tofiq House – São Paulo, Brasil

2014

Camada Superficial. Artista Convidada – Sorocaba, Brasil
Ouro: Um fio que costura a arte do Brasil – Centro Cultural do Banco do Brasil – Rio de Janeiro, Brasil
Taipa-Tapume – Galeria Leme – São Paulo, Brasil
Gr_ve – Fundação Bienal de São Paulo/SP-arte – São Paulo, Brasil
Dispositivos para um mundo (in)possível/ Roesler Hotel – Galeria Nara Roesler – São Paulo, Brasil

2013

18º Festival Internacional de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil – São Paulo, Brasil
Blind Field – Krannert Art Museum and Kinkead Pavillion, Champaign – Illinois, E.U.A.

2012

Traduction Tradition Trahison – Le Cube – Rabat, Marrocos
Through the surfasse of the pages… – Harvard University (David Rockefeller Center for Latin American Studies) – Boston, E.U.A.

2011

8ª Bienal do Mercosul – Porto Alegre, Brasil
Um Outro Lugar – Museu de Arte Moderna de São Paulo – São Paulo, Brasil

2010

Paralela 10 – Liceu das Artes – São Paulo, Brasil
Paradas em Movimento: Wonderland – Ações e Paradoxos – Centro Cultural São Paulo – São Paulo, Brasil

2006

Exposição Coletiva – Novembro Galeria de Arte – Rio de Janeiro, Brasil

2005

Rumos Artes Visuais – Instituto Itaú Cultural – São Paulo, Brasil
Exposição de aquisições recentes Coleção Gilberto Chateaubriand – Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro – Rio de Janeiro, Brasil
Exposição de Verão – Galeria Sílvia Cintra – Rio de Janeiro, Brasil

2004

Exposição Coletiva de reinauguração do espaço expositivo da Galeria Léo Bahia Arte Contemporânea – Belo Horizonte, Brasil

2003

Ponto de Fuga – Área Livre (Projeto Linha Imaginária) – Galeria Marta Traba, Memorial da América Latina – São Paulo, Brasil
Salão Nacional do Museu de Arte Contemporânea do Paraná – Curitiba, Brasil
Novos utópicos (intervenções urbanas) – Trabalho apresentado: Memorial do esquecimento – Belo Horizonte, Brasil

2002

Exposição de premiação do Festival de Inverno da UFMG – Centro Cultural da Universidade Federal de Minas Gerais – Belo Horizonte, Brasil

 

Curadoria

2011

Porque Sim – Curadoria Rodrigo Bivar e Lais Myrrha – Galeria Millan – São Paulo, Brasil.


Prêmios e Residências
2013

Prêmio Honra ao mérito Arte e Patrimônio. Paço Imperial – Rio de Janeiro, Brasil

2012

Bolsa Funarte de Estímulo à Produção em Artes Visuais. FUNARTE – Rio de Janeiro, Brasil

2011

Prêmio na Categoria Escultura – I Concurso de Arte Contemporânea do Itamaraty – Brasília, Brasil

2003

Bolsa Pampulha – Prêmio de Residência Artística da Prefeitura de Belo Horizonte e do Museu de Arte da Pampulha – Belo Horizonte, Brasil

 

Mostras de Cinema
2017

Coluna Infinita – Blanton Museum of Art – Austin, E.U.A.

 

Coleções Públicas

Blanton Museum of Art: The University of Texas – Austin, Estados Unidos
Fundação de Serralves – Porto, Portugal
Itamaraty – Ministério das Relações Exteriores – Brasília, Brasil
Museu de Arte do Rio (MAR) – Rio de Janeiro, Brasil
Pinacoteca do Estado de São Paulo – São Paulo, Brasil

 

Bibliografia
2018

“Prêmio IP Capital Partners de Arte 2018”. Rio de Janeiro. 2018. p.146-147. Catálogo

2015

MYIADA, Paulo. O instante interminável, 2015. Folder da exposição

2014

ANJOS, Moacir. Projeto Gameleira 1971, 2014. Folder da exposição
“Arte e Patrimônio 2014”. Paço Imperial. Rio de Janeiro, 2015. p. 54-55. Catálogo da Exposição

2013

MELENDI, Maria Angélica. Uma cronografia de espectros. Posfácio do livro Breve cronografia dos desmaches . Lais Myrrha,
REBOUÇAS, Júlia. “Zona de Instabilidade”, 2013. Catálogo da exposição

2012

BEDÊ, Cecília. Não mais impossível. BNB, Fortaleza, 2012. Catálogo de exposição

2011

ALVES, Cauê. Lais Myrrha. Bienal do Mercosul, Porto Alegre, 2011. Catálogo de exposição
FERREIRA. José Bento. A última Torre. Paço da Artes, São Paulo, 2011.
FERREIRA. José Bento. Coluna Infinita. Paço da Artes, São Paulo, 2011. Folder de exposição

2009

REBOUÇAS, Júlia. Border Game. Galeria Millan, São Paulo,  2009. . Folder de exposição

2008

REBOUÇAS, Júlia. Lais Myrrha. Prêmio Projéteis Funarte de Arte Contemporânea, Rio de Janeiro, 2008. Catálogo de exposição

2007

DUARTE, Luisa. Redução ao absurdo. Galeria Novembro, Rio de Janeiro, 2007. Folder de exposição

2006

DUARTE, Luisa. Entre o público e o privado: transições na arte contemporânea. Rumos Artes Visuais Itaú Cultural 2005-2006: São Paulo, Itaú Cultural, 2006
TEJO, Cristiana. Outros Lugares. Rumos Artes Visuais Itaú Cultural 2005-2006: São Paulo, Itaú Cultural, 2006.
TEJO, Cristiana. Tempo e espaço como vertigem.  Fundação Joaquim Nabuco. Recife, 2006. Catálogo de exposição

2005

DARDOT, Marilá. Quarto de Balé. Galeria Leo Bahia, Belo Horizonte, 2005. Folder de exposição

2004

MOURA, Rodrigo. Bolsa Pampulha: Lais Myrrha. Museu de Arte da Pampulha, Belo Horizonte, 2004. Catálogo de exposição

2003

MELENDI, Maria Angélica. Sobre pedras e palavras. Cemig, Belo Horizonte, 2003. Catálogo de exposição